Como abrir uma associação de Proteção Veicular? Dicas definitivas e essenciais!

Como abrir uma associação de Proteção Veicular? Dicas definitivas e essenciais!

Afinal, como abrir uma associação de proteção veicular?

Uma tendência, justamente a associação de proteção veicular tem ganhado a atenção por ser mais prática e menos custosa do que a contratação de um seguro.

Então, está pensando em abrir a sua própria? Reunimos neste conteúdo os passos essenciais para criar uma associação de proteção veicular.

Para quem tem interesse nesta área, é bom saber que o processo não é o mesmo de uma empresa por não se encaixar na mesma classificação.

Surge, então, a necessidade de compreender mais sobre esse processo a fim de não cometer erros. Esse processo envolve saber quais são os documentos necessários para abrir uma associação, por exemplo.

Dito isso, neste artigo você vai aprender:

  • 7 passos essenciais de como abrir uma associação;
  • se vale a pena consultar um advogado;
  • qual é o custo para abrir uma associação
  • a diferença entre associação vs cooperativa.

Portanto, continue a leitura e saiba mais sobre o que é a associação de proteção veicular e, claro, como abrir uma!

O que é uma associação de proteção veicular?

É comum as pessoas terem dúvidas se associações possuem fins lucrativos. A resposta simples e direta é não. Então, o que é uma associação deste tipo? Sociedade civil de direito privado sem fins lucrativos. É assim que a associação de proteção veicular é classificada.

Diferente de uma empresa de direito privado, a associação não tem a visão de lucro, apenas de reunir um grupo de pessoas com interesses em comum, que, nesse caso, é a proteção de veículos.

De acordo com o artigo 53 da Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002, que institui o Código Civil, associações são constituídas “pela união de pessoas que se organizem para fins não econômicos”.

Daí a grande diferença entre contratar um seguro e entrar para uma associação, por isso os custos são menores. A ideia central é repartir gastos de eventos entre os associados em caso de acidentes, furtos, roubos, incêndios, enfim.

A associação privada permite essa dinâmica, porém, na hora de criar uma, o processo é bem diferente de uma empresa.

É fundamental ter atenção para esses detalhes explicados, porque fazem total diferença na hora de aprender a como abrir uma associação, que vamos explicar melhor no tópico a seguir.

Comece os passos com orientação jurídica e converse com um especialista da G&R Advogados!

7 passos essenciais de como abrir uma associação

Para saber como abrir uma associação de proteção veicular, é preciso entender que existem algumas fases de organização burocrática.

Toda associação que tem um bom funcionamento passou com atenção por essas etapas do desenvolvimento de processos operacionais.

Dentro disso, tem a importância de registrar a associação em cartório para ter reconhecimento da união. Isso porque toda sociedade civil de direito privado sem fins lucrativos precisa ter um registro oficial que garante legalidade para ela.

Além desse passo, existem outros que precisam ser seguidos para que a organização tenha uma operação eficiente.

Sendo assim, é muito importante que você leia com atenção os passos essenciais de como abrir uma associação que vamos ensinar a seguir.

Mobilização dos interessados pela associação

Se você é o líder desse projeto, precisa criar um plano de ação para mobilizar as pessoas que possam se interessar por ele. É assim que funciona em quase todos os projetos, praticamente.

Para fazer essa mobilização, vale conversar sobre as vantagens de criar uma associação, mostrar a importância de proteção do veículo e como essa alternativa pode ser mais em conta do que outras opções existentes.

Dessa forma, é possível até mesmo despertar interesse em pessoas que nem sequer conheciam sobre os tipos de associação e afins.

Certo! Mas como exatamente mobilizar possíveis interessados?

Pode ser por meio de reuniões, palestras, enfim, tudo para que um grupo de pessoas seja definido e você já tenha base para colocar o projeto em prática.

Talvez aqui fique a dúvida: “existe um número mínimo de pessoas para formar uma associação?”. No caso, a pergunta mais adequada seria se tem um número mínimo de veículos para começar uma proteção veicular.

A resposta é não.

Na verdade, uma associação de proteção veicular pode ser criada sem nenhum veículo, até então. Ou seja, primeiro organizar toda a parte burocrática e só depois trazer novos associados.

O importante é mostrar a viabilidade desse projeto e como ele pode ser vantajoso para essas pessoas.

Convoque a assembleia de constituição

Para começar a parte prática e burocrática da associação é preciso ter a sua primeira assembleia.

Lá será anunciado um grupo de membros para a diretoria, o qual vai trazer um estatuto social com todas as informações sobre a adesão do serviço.

Chega a hora de pensar em questões muito específicas, como as taxas administrativas, os termos do estatuto e a sede física da associação. A ideia é deixar tudo sempre bem esclarecido para todos aqueles que decidiram participar.

Leia também: 3 leis vigentes sobre as associações de proteção veicular

Compilar os documentos necessários e registrá-los

Em seguida, vem a parte de abrir o CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoal Jurídica) referente à associação. Para isso é preciso ter os documentos relacionados abaixo e também uma sede com estrutura, ainda que mínima, para que possa operar.

Anote os documentos:

  • ata de fundação da associação, referente à primeira assembleia;
  • Estatuto social – documento que irá indicar como funciona a associação;
  • relação de nomes dos associados fundadores e também dos membros da diretoria;
  • ofício encaminhado ao cartório responsável pelo registro.

Construção da identidade da marca e marketing

Outro passo de como abrir uma associação de proteção veicular é trabalhar na construção da identidade da marca e do marketing dela.

Para que uma associação seja saudável e diminua seus custos operacionais, é importante a adesão de mais associados. Então, é preciso iniciar um processo de criação da identidade da marca. Algo que a faça ser notada pelo público e que ajude a divulgar o seu trabalho para mais pessoas interessadas.

Esse passo funciona da mesma forma que nas empresas comuns, de um trabalho de marketing voltado para atração. A diferença é que nas associações o marketing não é voltado para vendas, para comercialização, e sim para divulgação dos benefícios e dos trabalhos da associação.

Sabemos que hoje é preciso ter uma identidade visual, criar ações dentro e fora da internet, publicações para as redes sociais, comunidades, enfim.

Com uma marca registrada e uma estratégia de marketing eficiente, fica bem mais fácil divulgar os trabalhos e benefícios da associação, ao invés de esperar que essas informações cheguem aos associados sozinha.

Hora de iniciar a operação

Após toda estruturação da marca e do marketing, vem o momento de tirar as ideias do papel e colocar em prática, de fato.

Para operar agora falta montar a equipe de colaboradores, toda uma estrutura física e operacional para que a associação preste um bom serviço.

Ou seja, oferecer o que é preciso para que a associação funcione com eficiência no Terceiro Setor.

Isso envolve a divisão por departamentos, a fixação de processos de trabalho, tanto para atividades rotineiras de um escritório quanto para avaliar a fundo os eventos em busca de fraudes.

Algum desses itens é prioridade? Não, porque tudo isso é fundamental!

Invista na infraestrutura tecnológica

Além de mão de obra e mapeamento dos processos é preciso oferecer ferramentas para que o trabalho seja bem executado.

A instalação de softwares e outras ferramentas do mundo digital permitem que haja maior produtividade, organização e menor margem de erro das atividades do dia a dia. Isso gera uma maior economia de gastos e beneficia todos os associados.

Inclusive, é importante que esses recursos sejam atualizados e de qualidade para a associação atuar com eficiência no Terceiro Setor, além de otimizar o trabalho.

Fechar parcerias com prestadores de serviços

Um ponto também importante e que se torna o último da nossa lista de como montar uma associação de proteção veicular é a listagem de profissionais que vão tornar possível o seu trabalho.

Isso porque é preciso dispor de contatos de confiança de prestadores de serviço para a sua associação. É preciso avaliar cada um e saber que pode contar com eles para seguir a linha de trabalho da organização.

Esse caminho pode ser mais fácil com ajuda de advogados, conheça mais sobre a G&R Advogados!

Leia mais: Guia completo: como vender proteção veicular com sucesso! Dicas e estratégias

Vale a pena consultar um advogado?

Como vimos nesse passo a passo, dar início a uma associação não é igual a abrir uma empresa, certo?

Apesar da dinâmica ser semelhante, é preciso ter atenção a diversos detalhes que formalizam essa prestação de serviços. Então, contar com consultoria de advogados é essencial.

A fim de evitar erros durante esse trajeto é interessante contar com profissionais que possam orientar e fazer aqueles passos mais ligados ao direito.

Por exemplo, advogados que atuam na criação de uma associação conseguem assegurar que o Estatuto Social e o Regulamento estejam de acordo com a lei e ainda assinam o documento elaborado.

Além disso, quando a associação estiver em operação, você vai precisar de advogados de confiança para ajudar em casos de processos e na investigação de fraudes.

Também é interessante que os associados contem com advogados mais individuais para estarem sempre a par dos direitos que têm.

Qual é o custo para abrir uma associação?

Dentro do tema de como abrir uma associação de proteção veicular, também entra a parte do valor necessário para isso. Aliás, uma das dúvidas mais frequentes é sobre quanto custa abrir uma associação.

A verdade é que não existe um valor único e estabelecido.

Isso dependerá de cada cartório em cada cidade e quanto ele vai te cobrar, pois o processo de abertura da associação depende de registro cartorário e os valores são diversos a depender de cada cartório.

Pode ser que seja um valor alto ou menor. Enfim, é sempre bom ter uma quantia reserva para prevenir e, assim, conseguir aproveitar as vantagens de criar uma associação.

Associação vs. cooperativa: qual a diferença?

Agora que você já sabe como abrir uma associação, vamos explicar a diferença dela para uma cooperativa. Afinal, as pessoas costumam confundir bastante esses conceitos.

Basta voltar para o que significa associação de proteção veicular. Como reforçarmos em outros momentos, essa organização é como se fosse uma sociedade civil de direito privado sem fins lucrativos, correto?

Uma das funções dos tipos de associação é fornecer o desenvolvimento social e beneficiar os associados.

Já a cooperativa funciona também com associação de pessoas, porém ela tem objetivos financeiros e econômicos.

Portanto, ao contrário da associação, a cooperativa visa fins lucrativos.

Outra diferença é em relação ao patrimônio de cada organização.

A associação tem o fundo formado pelo pagamento da taxa administrativa feita pelos associados. Por outro lado, a cooperativa tem capital social constituído por quotas integradas pelos associados e podem receber processos de capitalização.

Por fim, as associações e cooperativas também se diferenciam no resultado desses patrimônios.

Basicamente, o que sobrar do fundo da associação deve ser aplicado para a melhoria dela. Na cooperativa, existe a possibilidade das sobras serem distribuídas entre os cooperados.

Tem inúmeras outras diferenças, vale a pena destacarmos todas?

Converse com especialistas da G&R Advogados e saiba mais sobre como abrir uma associação de proteção veicular!

Conclusão

Agora você já sabe como é o passo a passo para criação de uma associação de proteção veicular, as dificuldades, facilidades e como diminuir as chances de errar.

É um trabalho que exige conhecimento bastante específico e é interessante entender cada vez mais sobre esse modelo de associativismo.

Afinal, a ideia é que a sua associação consiga prestar um bom serviço e com muitos benefícios para os associados, certo? Pois bem, estudar sobre o assunto é de extrema importância, além de ter a presença de advogados para que tudo seja feito dentro da lei.

Com obediência aos parâmetros legais, planejamento e orientação de advogados, sem dúvida seu projeto será um sucesso.

Então, anote cada uma dessas orientações, dicas e pense bem na hora de iniciar esse processo.

Gostou deste conteúdo? Para aprender mais sobre como abrir uma associação de proteção veicular, direitos do consumidor e o terceiro setor, acesse o blog da G&R Advogados!

EQUIPE GUIMARÃES & ROSSI

4 comentários em “Como abrir uma associação de Proteção Veicular? Dicas definitivas e essenciais!”

Deixe um comentário